segunda-feira, 28 de outubro de 2013

O Monstro dos Tempos Perdidos (The Beast from 20,000 Fathoms) 1953



Este filme marcou o primeiro espectáculo a solo de efeitos em stop-motion do maestro Ray Harryhausen numa longa-metragem. Era o início de uma carreira que iria produzir algumas das obras de ficção científica mais amadas e dos maiores filmes de fantasia da história do cinema, responsável por ter inspirando gerações de cineastas e artistas de efeitos especiais futuros. Com "The Beast from 20,000 Fathoms", Harryhausen criou uma das melhores sequências de "monstros gigantes em fúria" de todos os tempos, quando o seu Rhedosaurus de 50 toneladas vai dar um passeio à tarde pelas ruas de Manhattan. Cada segundo, cada quadro do trabalho dos efeitos foi trabalhada à mão, pelo próprio Harryhausen.
Nos resíduos do Ártico, perto do Pólo Norte , um teste de uma bomba atómica acidentalmente liberta um dinossauro gigantesco do seu sono milenar, preso no gelo. Um cientista, o professor Tom Nesbitt (o actor suíço Paul Christian), consegue ver o monstro de relance durante uma nevão, mas é considerado por todos como tendo sido uma alucinação. Com a certeza das suas faculdades, Nesbitt coloca a hipótese de uma criatura pré-histórica ter sido liberta de uma hibernação e esteja agora à solta. O afundamento misterioso de uma traineira de pesca na Baía de Baffin leva-o a entrar em contato com o paleontólogo mais importante do mundo, Dr. Elson (Cecil Kellaway), que recebe Nesbitt por cortesia profissional, mas não acredita na sua teoria. A atraente assistente de Elson (Paula Raymond) é mais receptiva, no entanto, e quando outro navio afunda na Nova Escócia ela ajuda Nesbitt a reunir provas de que a sua ideia não é de todo falsa.
O filme acaba por ser conduzido à referida sequência de Manhattan, do gigante dinossauro. É uma bravura de sequência, um genuíno toque do monstro de cinema clássico - e que nos faz esquecer um desenvolvimento um pouco tedioso (embora bem interpretado e com uma boa fotografia) construído até este ponto. Harryhausen alcançou um marco dos efeitos especiais com esta obra, ao fazer um uso inteligente de jogos de luz , como quando a fera entra e sai das "sombras" entre os prédios, Harry camuflou as fraquezas do seu modelo de stop-motion, com a injeção de um senso de caráter na sua criação, e deu mais inspiração aos futuros artistas de CG.

Link 
Imdb

Nenhum comentário: