sexta-feira, 11 de outubro de 2013

O Barão do Arizona (The Baron of Arizona) 1950



O Barão do Arizona é vagamente baseado na história real de James Addison Reavis, que em 1880 tentou um dos golpes mais audaciosos de todos os tempos: burlar o governo dos EUA de todo o território do Arizona. Reavis é interpretado por Vincent Price, que já era um veterano da indústria em 1950, mas ainda não tinha saído do seu nicho de galã dos filmes de terror. Ele já estava habituado a interpretar personagens diabólicos, no entanto, aqui ele é um calculista capaz de precorrer grandes distâncias para levar a cabo o seu plano. Reavis passou muitos anos dominando técnicas de manipulação, numa estadia num mosteiro espanhol, a fim de alterar registros antigos, e viajando para sul dos Estados Unidos para falsificar sepulturas, e até esculpir um anúncio numa pedra gigante no meio do deserto.
Filmado em 15 dias, em vez dos dez de "I Shot Jesse James", Fuller definitivamente tem um melhor controle sobre o material e um sentido visual mais forte do que tinha no seu primeiro filme. O escritório de Reavis quase se parece com o covil de um cientista louco, que tínhamos visto Price ser em filmes anteriores, com os seus mapas gigantescos e modelos de comboios. A sequência do linchamento passada nesta sala é ao mesmo tempo assustadora e visualmente poderosa, com a acção mostrada quase totalmente na sombra. Os objectos do plano de Reavis também são maravilhosamente detalhados e cativantes. Reavis (Hadley), um homem do governo que escreveu o livro sobre a falsificação, narra a história várias décadas depois da acção, no início da década de 1910, quando o Arizona está a tornar-se um estado.
O melodrama desta vez aparece sob a forma da história de amor entre Reavis e a baronesa Sofia (Ellen Drew), uma pobre jovem que ele consegue arrastar como a legítima herdeira do Arizona por decreto do rei Ferdinand. Ele não lhe diz que inventou a toda a história, e ela não lhe diz que realmente se apaixonou por ele. Enquanto algumas das cenas posteriores entre eles são doces, existe um conflito anterior. Ela protesta contra a ganância de Reavis, e ele delicadamente prepara as coisas para o seu lado, e ela nunca deixará de amá-lo. Desta forma, a rigidez do drama de costumes muitas vezes motiva o estilo de filmagem dferente das raízes de Fuller. 
Assim, ao longo dos seus dois primeiros filmes, Fuller foi-se estabelecendo como um homem que poderia fazer bem o trabalho. Trabalhava fora do sistema de estúdios normal, trabalhando de forma independente para a Poverty Row do produtor Robert L. Lippert. Fuller tinha de trabalhar com alguém que fosse tão independente como ele - assim como os seus personagens, incluindo Reavis, e de certa forma, Ford, o eram - a fim de florescer plenamente.

Link 
Imdb 

5 comentários:

Anônimo disse...

Caro Amigo,
Já há tempo tento transferir os filmes, mas aparece uma mensagem de erro a dizer que a memória do meu computador está cheia, quando de facto não está... sabe como posso resolver esta situação?

Obrigado,

AB

My One Thousand Movies disse...

Caro amigo, qual é o browser que tu usas?

My One Thousand Movies disse...

Tenta com outro browser...

Anônimo disse...

Tentei de início utilizar o Internet Explorer, mas não deu, depois mudei para o Google Chrome, mas apareceu esta mensagem...

Obrigado e desculpe o incómodo.

AB

My One Thousand Movies disse...

Tenta com firefox, que já deve dar :)

Abraço