sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Capacete de Aço (The Steel Helmet) 1951



Lançado durante os primeiros tempos da Guerra da Coreia, o filme de Samuel Fuller parece olhar para a guerra do ponto de vista individual. De acordo com a sua entrevista em "The Typewriter, the Rifle, and the Movie Camera", a primeira coisa que passou pela mente de Fuller, que foi um soldado durante 3 anos, durante a Segunda Guerra Mundial, quando fez sua primeira morte foi, "Eu estou vivo e ele está morto". Foi por esta e tantas outras experiências e incidentes que ele documentou durante a sua experiência, que fez os seus muitos filmes de guerra.
O protagonista de "The Steel Helmet", o sargento Zach (Gene Evans), que invadira a praia da Normandia, parece, principalmente, preocupado em saír dalí vivo. Ele parece ser egoísta, indiferente, solitário, endurecido, e o egoísmo, bem como a inteligência, habilidade, consciência, e, certamente, a sorte, são os principais motivos porque ele ainda anda a lutar.

Uma das coisas que torna o filme tão bom é que há um grande número de individualidades. Este não é o típico filme de guerra, onde um grupo atraente de caucasianos se unem para proteger a liberdade e a democracia americana. O filme evita esse e outros estereótipos típicos de filmes de guerra, apresentando uma unidade de caras manchadas e sujas que não são heróicas nem fazem nada de glorioso ou político. O que é importante sobre a sua natureza atípica, contudo, é onde estará o foco.As individualidades incluem um médico, Cpl. Thompson ( James Edwards), que é negro. Normalmente, ele não teria permissão para partilhar um lugar ou uma refeição com os brancos, mas aqui ele é valorizado porque tem conhecimentos e a técnica que é necessária para os seus homens sobreviverem. Há também um americano japonês, o sargento Tanaka (Richard Loo, um dos mais famosos vilões estereotipados japoneses de Hollywood), que é por larga margem o mais valioso do que sobrou de unidade do tenente Driscoll. Tal como Zach ele sobreviveu à Segunda Guerra Mundial. Existem vários outros proscritos e desajustados nesta patrulha de Zach e de Thompson. Alguns deles não valem nada, mas todos ajudam a quebrar a percepção comum do que as pessoas responsáveis ​​pela protecção América valem.
Não há nenhuma explicação das razões pelas quais os países estão a lutar. O que a retenção de informações faz aqui não é fazer-nos querer saber porque isso acontece, mas focar-nos nos seres humanos que estão a lutar. Fuller deixa muito claro que ambos os lados têm poucas idéias do que são amigos e inimigos, com coisas como os norte-coreanos a serem chamados russos. A idéia do indivíduo tentando sobreviver entre alianças mal desenhadas também esteve presente noutro grande filme de Fuller, "Pickup on South Street". Aqui, ele também nos faz acreditar que toda a gente se pode dar bem, e a vergonha de tudo isto é que é preciso ter alguém para afastar-nos e esquecer a nossa desconfiança em relação a outras raças entre os nossos amigos estrangeiros e, especialmente, entre os nossos próprios compatriotas.
O personagem mais importante é o The Red (Harold Fong), um inimigo major que a unidade captura, e que tenta transformar os homens da infantaria, caluniando os americanos, apontando como ridículo a segregação de campos de concentração japoneses. 
Em contraste com o major vermelho, há o menino órfão sul-coreano que salvou Zach, apelidado de Short Round (William Chun ), porque Zach diz que não o quer levar com ele. Short Round tem uns olhos arregalados, um sorriso inocente que conhece o suficiente sobre a área e as ferramentas que lhes podem ser úteis, mas não o suficiente para ficar seguro. Short Round, que supostamente foi o modelo para o estereótipo de Steven Spielberg em Indiana Jones e o Templo Perdido.

Link 
Imdb 

Nenhum comentário: