sexta-feira, 3 de fevereiro de 2023

O Homem Sem Braços (The Unknown) 1927

Alonzo é um atirador de facas sem braços num circo - ou, pelo menos, assim parece. Na verdade, ele é um criminoso com os braços intactos. Ele e o seu cúmplice, Cojo (um homem pequeno), estão a esconder-se da polícia. Alonzo considera o seu disfarce perfeito, principalmente porque esconde uma deformidade invulgar na sua mão esquerda que o denunciaria imediatamente como o criminoso que a polícia está procurando. Nanon, filha de Zanzi, o dono do circo, é o seu alvo amoroso. Embora Alonzo esteja apaixonado por ela, o pai dela despreza-o. 
Entre 1919 e 1930, Tod Browning fez onze filmes com outra figura bastante singular de Hollywood, o ator Lon Chaney. Apelidado de "o homem das mil caras" pelo seu domínio dos efeitos de maquiagem surpreendentes, Chaney compartilhou com Browning uma fascinação pelo bizarro e pelo não convencional e pela deformidade física, possivelmente como resultado dos seus respectivos primeiros anos: os pais de Chaney eram surdos-mudos enquanto Browning supostamente trabalhava num circo como palhaço, contorcionista e ainda num número chamado "The Living Hypnotic Corps". “The Unknown” é uma obra de um génio distorcido, que reúne o melhor desta famosa dupla no mesmo filme. Os fãs de “Tales From The Crypt” vão adorar este doentio, bizarro e barroco filme que sangra com ciúmes, mentiras malignas e momentos que ainda fazem rir de descrença. 
 Um estranho veículo para Lon Chaney que também apresenta uma jovem Joan Crawford como seu interesse romântico. Crawford é a filha adulta abusada do sádico dono de um circo, Nick De Ruiz. Crawford aprendeu a desprezar as mãos e os braços dos homens, o que representa problemas para o homem forte do circo, Norman Kerry. 

quinta-feira, 19 de janeiro de 2023

O Homem de Singapura (The Road to Mandalay) 1926

Um criminoso com um olho deformado deixa a única filha aos cuidados do irmão, um padre. Ele vem visitá-la, mas ela não sabe que ele é o seu pai e este não lhe conta. Decide que, se pode ganhar dinheiro com as actividades criminosas, pode arranjar o olho com uma operação, revelar-se a ela como seu pai e então cumprir os deveres paternos. No entanto, descobre que um sócio criminoso decidiu casar-se com ela e decide impedir isso...
Um filme rarissimo que não existe mais na sua forma completa, mas, pelo que parece, esta condensação de 35 minutos faz um trabalho decente a contar a história. Existem certos saltos na narrativa, mas a história básica está intacta, e a sua semelhança com outros filmes existentes de Chaney/Browning significa que podemos preencher as seções que faltam sem muitos problemas. O conteúdo fantástico é bem leve; além da deformidade do personagem de Chaney e aquela mesquinhez do cenário que é a marca das colaborações Chaney/Browning, é um melodrama directo. 
O filme também não se encontra em muito boas condições, mas tem de ser assim.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2023

O Lacrau (The Blackbird) 1926

Lon Chaney desempenha um papel duplo neste melodrama policial da MGM. Blackbird, um mestre do crime e The Bishop, o seu irmão aleijado que é amado por todos na cidade. Ambos são a mesma pessoa e o plano é manter as coisas assim, mas logo outro criminoso (Owen Moore) entra em cena, assim como o amor por uma mulher (Renee Adoree).
Mais uma vez, Tod Browning abrindo o filme com autoridade, com close-ups dos becos abandonados de Limehouse entrando e saindo do cenário nebuloso de Londres. Lon Chaney desempenha mais uma grande imterpretação num duplo papel. É um aleijado e debilitado que dirige uma missão de caridade no esquálido distrito de Limehouse. O irmão gêmeo de Bishop é Dan Tate, mais conhecido como o vil ladrão The Blackbird.
A realização de Browning é excelente. Ele configura os cenários do Limehouse na abertura, mostrando uma sequência de rostos que evocam a atmosfera mais do que um mero cenário poderia fazer. Soube tirar o melhor proveito de Chaney, mas os outros actores do elenco também fazem um bom trabalho com as suas expressões faciais, todas capturadas com maestria por Browning. A nova partitura de Robert Israel, contendo trechos de Chopin e outros, encaixa-se bem no filme e nunca se intromete.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2022

A Trindade Maldita (The Unholy Three) 1925

Três artistas secundários deixam as suas vidas de cativeiro e transformam-se no "The Unholy Three". Echo, o ventríloquo, assume o papel de uma velha e gentil avó que administra uma loja de pássaros. Tweedledee, o "twenty inch man", torna-se no seu neto, e Hércules é o assistente. Logo uma incrível onda de crimes é lançada a partir da pequena loja.
Refeito como um talkie em 1930, também interpretado por Lon Chaney, no seu último papel  - é conhecido principalmente como o precursor temático do filme de Tod Browning  "Freaks" (1932). Ambos contam com o anão Harry Earles; ambos apresentam um homem forte chamado Hércules; e ambos lidam com artistas secundários que decidem vingar-se da sociedade “normal", e são também, os dois realizados por Tod Browning. Além dessas semelhanças superficiais, no entanto, os filmes diferem um pouco: enquanto "Freaks" celebrava os desajustados cirquenses como um grupo coletivo que ficaria contente desde que fosse respeitado, "The Unholy Three" apresenta os artistas como explorados e insatisfeitos, ansiosos por usar as suas habilidades. ou diferenças para ganho criminoso.
Embora não seja um filme totalmente bem-sucedido, há muito a recomendar sobre "The Unholy Three": Earles é particularmente assustador (e mais eficaz do que em Freaks) como um homem de 20 anos que pode facilmente passar por um bébé chorão; e Lon Chaney tem mais uma interpretação estelar como Echo e a "Granny O'Grady" de costas curvadas e óculos. 

domingo, 11 de dezembro de 2022

The Monster (The Monster) 1925

O nervoso aspirante a detetive Johnny anda em busca de um homem desaparecido e investiga acontecimentos estranhos num asilo abandonado, que agora é “operado” pelo louco Dr. Ziska, interpretado por Lon Chaney.
O realizador Roland V. West revisitou o território de "The Monster" novamente no sucesso do ano seguinte, "The Bat", e mais tarde, desta vez com som em The Bat Whispers (1930) (filme pelo qual é mais recordado - bem, ficando depois conhecido por no leito da morte confessar que assassinou a namorada  da altura, Thelma Todd). "The Monster" é o menos conhecido desta trilogia da casa escura de West e, embora seja o mais fraco dos três, mantém o interesse por vários motivos.
Alçapões, porões secretos e uma cadeira eléctrica são os adereços do mundo dos sonhos de West. O Ziska de Chaney é surpreendentemente elegante. Ziska exibe um sorriso ameaçador o tempo todo, tornando-o um possível primeiro membro dos Three Stooges de Grand Guignol, que podiam incluir Lionel Atwill e Bela Lugosi. Ziska é homem o suficiente para ficar excitado quando amarra a pobre Betty à mesa. 
"The Monster" não é grande cinema, não é o melhor de West, o melhor de Chaney ou o melhor filme de Old Dark House (James Whale faria-o sete anos depois), mas é cinema "pulp" com uma boa qualidade.

quarta-feira, 30 de novembro de 2022

O Fantasma da Ópera (The Phantom of the Opera) 1925

Na Ópera de Paris, um misterioso fantasma ameaça uma famosa cantora lírica, Carlotta, e a obriga a desistir do papel (Marguerite em Fausto) em prol da desconhecida Christine Daae. Christine encontra esse fantasma (um homem mascarado) nas catacumbas, onde ele mora. Qual é o seu objetivo? Qual é o segredo dele?
Fortemente influenciado pelo expressionismo alemão, com os seus cenários melancólicos e padrões obscuros de sombras e luz, O Fantasma da Ópera definiu o estilo de filmes subsequentes como Drácula, Frankenstein e O Corcunda de Notre Dame. A história melodramática de um homem deformado, um forasteiro abusado durante toda a sua vida, em busca do amor num mundo de socialites com repulsa pela sua presença, obviamente derivante do clássico romance de Victor Hugo O Corcunda de Notre-Dame.
A ênfase visual do filme em cenários subterrâneos e cenários impressionantes, como a Ópera de Paris, também influenciou claramente esses filmes posteriores. No papel do Fantasma, Lon Chaney criou um vilão tão empático que era quase impossível não torcer por ele. O uso inovador do dispendioso processo Technicolor de duas tiras em algumas cenas importantes é tremendamente eficaz para transmitir o tom do filme. As batalhas no cenário levaram uma série de realizadores, incluindo o próprio Chaney, a assumir o comando de diferentes cenas, mas a visão final foi a do neozelandês Rupert Julian. Mesmo quando a história se deteriora num melodrama piegas, a fascinante interpretação de Chaney mantém o filme unido até o fim. O momento em que a máscara do Fantasma é arrancada continua sendo um dos momentos mais arrepiantes da história do cinema.

sexta-feira, 18 de novembro de 2022

O Palhaço (He Who Gets Slapped) 1924

A história de um inventor que, ao sofrer uma traição na vida, faz carreira tornando-se num palhaço cujo número consiste em ser esbofeteado por todos os outros palhaços. Ele apaixona-se por outra artista do circo, e aqueles que o traíram entram na sua vida novamente. 
Depois de ver os filmes que Sjostrom tinha feito na Suécia, o produtor Irving Thalberg recrutou Sjostrom para Hollywood. "He Who Gets Slapped" foi o primeiro filme que o sueco fez na MGM e provou ser um empreendimento lucrativo para todos os envolvidos. Sjostrom foi um dos poucos realizadores respeitados por Louis B. Mayer e Thalberg. "He Who Gets Slapped" era baseado na peça de 1914 de Leonid Andreyev, e o filme resultante parece, pensa e age como se fosse mais europeu do que qualquer coisa que os estúdios de Hollywood produziram na época.
É um conto de degradação, humilhação e sacrifício. Chaney é o pobre, mas prolífico cientista Paul Beaumont, tão dedicado no seu trabalho que, inevitavelmente, se torna um tolo inconsciente. 
É um de seus retratos mais magistrais. O seu desespero patético, demência, humildade e dignidade redentora estão totalmente intactos.
 

segunda-feira, 7 de novembro de 2022

Nossa Senhora de Paris (The Hunchback of Notre Dame) 1923

Passado na cidade de Paris no século 16, a história começa quando o malvado Jehan (Brandon Hurst), irmão do santo de Notre Dame, Dom Claude (Nigel De Brulier), ordena que Quasimodo rapte a cigana Esmeralda (Patsy Ruth Miller). Quasimodo é capturado e açoitado pelo crime, ao que Esmeralda lhe mostra bondade oferecendo-lhe água. Ele retribui quando Esmeralda, acusada de assassinio pelo obcecado Jehan (se ele não a pode ter, ninguém pode), é condenada à forca. 
Esta segunda versão cinematográfica do romance de Victor Hugo "Notre Dame de Paris" (o primeiro foi um veículo de Theda Bara, "The Dancer of Paris") foi um filme super-espetacular como só a Hollywood da década de 1920 poderia fazê-lo, mas nunca seria tão grande sem a contribuição da sua estrela, Lon Chaney. Como o corcunda sineiro Quasimodo, Chaney adornou-se com um dispositivo especial que fez as suas bochechas projetarem-se grotescamente; uma lente de contacto que bloqueava um dos seus olhos; e, mais dolorosamente, uma enorme corcova de borracha coberta com pele de animal que pesava entre 13 e 22 quilos. Embora Quasimodo seja apenas um dos muitos personagens interligados no conto original de Hugo, ele domina a narrativa desta cara produção da Universal.
A cena climax foi filmada à noite, exigindo os serviços de literalmente todas as luzes de arco em Hollywood. O cenário de Notre Dame (que não era tão grande na vida real quanto parecia na tela) permaneceu de pé nos fundos da Universal por anos, depois deste filme ter sido concluído, fazendo serviço para outro filme em 1925, também interpretado por Lon Chaney, O Fantasma da Ópera. .

sexta-feira, 28 de outubro de 2022

O Choque (The Shock) 1923

Um gang de chantagistas envia um aleijado a São Francisco para expor um banqueiro que andavam a chantagear. No entanto, o aleijado conhece e apaixona-se pela filha do banqueiro.
Ao lado das habilidades dramáticas de Chaney (ninguém poderia evocar um olhar de desgosto de forma tão clara e eficaz), The Shock também dá ao actor uma ampla oportunidade de mostrar as suas habilidades físicas únicas (passar a maior parte do filme de muletas não deveria ter sido fácil, mas em praticamente todas as cenas, acreditamos estar a ver alguém que sofre de uma deficiência debilitante). E enquanto a história em si não é novidade, o realizador Lambert Hillyer acrescenta algumas cenas “grandes” para aumentar o drama (uma explosão que leva a história numa direção decididamente diferente, mas mesmo isso não é tão grande em comparação com a sequência climática).
Quem está familiarizado com a carreira de Lon Chaney provavelmente já viu uma dúzia de filmes como este, mas ao mesmo tempo provavelmente apreciará a hipótese de ver o grande actor mais uma vez a fazer o que fazia de melhor.

terça-feira, 18 de outubro de 2022

Flesh and Blood (Flesh and Blood) 1922

Depois de quinze anos atrás das grades, um condenado foge da cadeia para poder ver a sua esposa moribunda. É tarde demais, então tenta reconciliar-se com a filha, que acredita que ele está morto. Enquanto isso, o detective que o prendeu anteriormente está no seu encalço… 
Lon Chaney novamente do lado errado da lei neste melodrama policial dirigido pelo produtor independente Irving Cummings. Entre grandes filmes de estúdio e como agente livre, o ícone do terror manteve-se ocupado com esses projectos, sem saber que o estrelato internacional estava ao virar da esquina. Se parece uma decisão estranha ver Chaney a liderar um filme independente numa altura em que ele alcançava sucesso nos grandes estúdios, pode ter sido simplesmente porque foi a melhor coisa em cima da mesa naquele momento. Chaney cresceu em circunstâncias nada abastadas, abandonando a escola por volta dos 10 anos de idade para cuidar da mãe doente a tempo inteiro. Trabalhou como guia turístico aos 14 anos e capataz aos 17 anos antes de se voltar para o teatro pouco depois. No ano de 1922 Chaney apareceu em nada menos do que oito filmes, sete deles longas-metragens. 
Uma questão significativa para o público moderno era a presença de Noah Beery no papel de Li Fang. Felizmente, a sua aparência de chinês evita os piores excessos da época. Veste um terno branco e o seu diálogo nos intertítulos é livre de coloquialismos ou de sabedoria oriental. Na maioria das vezes, simplesmente não havia actores asiáticos com a experiência necessária para assumir o papel. 

sábado, 8 de outubro de 2022

A Armadilha (The Trap) 1922

Lon Chaney é Gaspard, um mineiro feliz e simples do Quebec, a viver uma vida familiar idílica com a namorada Thalie (Dagmar Godowsky). No entanto, as coisas começam a correr mal quando aparece Benson (Alan Hale). Ele acaba por roubar a mina a Gaspard e a sua mulher! Gaspard passa vários anos com uma depressão. Durante este tempo, o karma parece ter atingido Benson e Thalie, que estão agora em curva descendente. Enquanto isso, Gaspard agora tem um coração voltado para a vingança em vez da felicidade...
Lon Chaney regressa ao grande deserto americano, onde já tinha feito alguns filmes, principalmente “Nomads of the North” (1920). O colorido conto de redenção e vingança do realizxador Robert Thornby foi filmado em grande parte no Parque Nacional de Yosemite e o cenário espetacular ajuda a melhorar um melodrama que se move em algumas direções surpreendentes.
Mais um bom papel de Lon Chaney, contracenando com um forte Alan Hale, ainda numa fase inicial da sua carreira, mas seria um actor que daria um grande salto para o cinema sonoro. Mais tarde iriamos vê-lo em filmes como "The Adventures of Robin Hood", de Michael Curtiz (como Little John), "Sea Hawk", também de Curtiz, ou "It Happened One Night", de Capra. Em grande parte das suas participações, como vilão. 

quarta-feira, 28 de setembro de 2022

Light of Faith / Light in the Dark (Light of Faith / Light in the Dark) 1922

Lon Chaney interpreta um ladrão de bom coração que se apaixona por Bessie MacGregor (Hope Hampton, estrela e produtora), que foi acolhida por uma rica matriarca da sociedade depois de ser atropelada pelo seu automóvel. Ele rouba um cálice (o Santo Graal?) com fama de ter poderes de cura na esperança de restaurar a saúde de Bessie. 
"The Light of Faith" é a versão abreviada de "The Light in the Dark", um filme que se acreditava perdido até ser encontrado há alguns anos. Esta versão abreviada foi preparada em 1927 por um grupo religioso e é a versão mais vista. Tem 40 minutos a menos que a versão original.
Durante as filmagens, Chaney e o co-argumentista Pelley tornaram-se amigos rapidamente, embora o seu relacionamento aparentemente tenha esfriado no final da década. Pelley era um praticante do ocultismo que acreditava numa profecia revelada a ele em 1929 que ligava a sua inevitável ascensão ao poder com a de Adolf Hitler. Formou uma milícia cristã chamada Silver Shirts e previu uma nação onde os afro-americanos seriam reescravizados e todos os judeus colocados em guetos 'murados'. Os relatórios divergem sobre a resposta do nazismo a Pelley, mas alguns afirmaram que Hitler planeava torná-lo o Führer americano depois de conquistar os Estados Unidos. Clarence Brown era o homem atrás das câmaras, numa das suas primeiras obras.

sexta-feira, 16 de setembro de 2022

Shadows (Shadows) 1922

Yen Sin, um humilde chinês, é levado para uma praia depois de uma tempestade e vê-se como um estranho na comunidade pesqueira profundamente cristã de Urkey. Yen Sin decide ficar, apesar do seu status de 'pagão' desprezado, apenas para revelar a hipocrisia no meio de uma comunidade hipócrita.
Por esta altura Lon Chaney era já uma grande estrela, um actor do cinema mudo que, através das suas próprias caracterizações, se transformava em personagens grotescos e torturados. Neste filme, realizado por Tom Forman, um actor que se passou para trás da câmara onde realizou um bom punhado de filmes, a forma como o seu personagem se insinua num ambiente hostil, nunca perdendo a sua dignidade, é revigorante. 
"Shadows" é um filme muito poderoso, que nos atrai para a sua história lentamente, quase sedutoramente. Uma história sobre preconceitos raciais, orgulho, amor, tolerância, traição, amizade e espiritualidade, algo que não era muito comum encontrar num filme de 1922.

quarta-feira, 7 de setembro de 2022

The Ace of Hearts (The Ace of Hearts) 1921

Uma sociedade secreta realiza uma reunião para determinar o que fazer com um homem poderoso e perigoso que eles já vêm a estudar de perto. Todos concordam que ele merece morrer. Farralone e Forrest são dois membros da sociedade que estão apaixonados por Lilith, a única integrante feminina do grupo, mas esta não quer nenhum deles, preferindo dedicar-se à causa do grupo. Quando o grupo se reúne novamente e distribui cartas a todos os membros, Forrest tira o ás de Copas, o que significa que ele será o responsável pelo assassinato. 
Drama invulgar interpretado por Lon Chaney, aqui no papel de Farralone. Pelo menos desta vez as suas mais conhecidas habilidades não são necessárias, porque este não é um papel a adicionar à sua galeria de grotescos. Farralone é um homem vulgar, envolvido num negócio extraordinário. Pelos padrões de hoje em dia, o grupo seria considerado um grupo de vigilantes, ou mesmo terroristas urbanos, que se determinam como Juízes, júris e executores contra os autocratas ricos que enchem os bolsos às custas das pessoas vulgares.
Com Wallace Worsley novamente a dirigir Chaney, depois de "The Penalty" (1920), que divide o principal papel com Leatrice Joy e John Bowers, a interpretar uma personagem conflituosa cheia de oscilações emocionais. 

segunda-feira, 29 de agosto de 2022

The Penalty (The Penalty) 1920

 Um menino ferido é desnecessariamente mutilado por um jovem Dr. Ferris (Charles Clary). Um médico experiente diz-lhe que não era necessário amputar as pernas do rapaz, mas promete ficar calado sobre a negligência. O menino acamado ouve a conversa e conta aos pais, no entanto a revelação é descartada como causa do delírio por contusão. 27 anos depois o rapaz torna-se na mente criminosa por detrás do gangster Frisco, de alcunha Blizzard.
A interpretação de Chaney como Blizzard é um tour-de-force, que foi alcançado através polias dolorosas, cintos, e um arreio que segurava as pernas atrás dele. Por causa da extrema contorção e desconforto do actor, as cenas toram filmadas em tomadas curtas. O primeiro grande papel como protagonista de Lon Chaney mostra o caminho dramático e contorcido que ele tomaria para se tornar no principal atrativo dramático da década. 
Realizado por Wallace Worsley, o filme vai buscar muita inspiração ao recente expressionismo alemão, que estava a dar os seus primeiros passos. Worsley seria mais uma figura importante na carreira de Lon Chaney. Trabalhava aqui com ele pela primeira vez, e voltaria a trabalhar em mais dois dos filmes mais importantes de Chaney.

sexta-feira, 19 de agosto de 2022

Outside the Law (Outside the Law) 1920

 Mais uma colaboração entre Tod Browning e Lon Chaney, e embora Chaney tenha aqui dois  papéis, ele não é o protagonista, mas sim, mais uma vez, Priscilla Dean, a preferida do realizador nesta fase da sua carreira. Dean é Silky Moll, filha do mafioso Silent Madden (Ralph Lewis) e ambos estão a tentar reformar-se sob a orientação do mestre Chang Lo (E. Alyn Warren). Black Mike Sylva (Chaney), interrompe a reforma dos anteriores ao tramar Silent Madden por assassinato, de modo que Silky Moll agora tem um pai condenado injustamente.
Algumas imagens formidáveis de Chinatown em São Francisco, e alguns tiroteios emocionantes. Não tem o toque pessoal dos filmes posteriores de Browning, mas é um entretenimento interessante. A aqui jovem Anna May Wong é deslumbrante nas sequências de Chinatown, e ao segundo papel de Chaney, como o ajudante de Chang Lo, com os chineses a serem tratados com mais respeito do que em outros filmes da época.
Leo McCarey, que viria a ser um realizador de destaque a partir de meados da década de trinta, e realizar filmes como "Going My Way"(1944), "The Awful Truth" (1937)m "An Affair to Remember" (1957), seria um dos realizadores assistentes de Browning.

segunda-feira, 8 de agosto de 2022

sexta-feira, 29 de julho de 2022

The Wicked Darling (The Wicked Darling) 1919

 Uma jovem sem sorte, apanha um colar de pérolas da rua depois de uma socialite o deixar caír. Perseguida pela polícia, a jovem refugia-se em casa de um homem rico, que perdeu todo o seu dinheiro. Depois dos dois conversarem, ela decide mudar toda a sua vida e seguir em frente. 
Romance policial sentimental, marcou a primeira colaboração entre o realizador Tod Browning e a futura estrela Lon Chaney, com quem o actor participou em alguns dos seus filmes mais importantes, incluindo "The Unknown", e o filme perdido mais famoso de sempre "London After Midnight" (1927). Era um projecto ainda muito diferente das futuras colaborações dos dois, e como Chaney ainda não era famoso, ficou apenas com o terceiro lugar das interpretações, mas um papel importante.
Chaney não desaponta. É um ladrão de pequeno porte capaz de actuar apenas sobre os fracos e impotentes na base da escala social. O papel de valentão já era conhecido por si nesta altura da sua carreira, mas como sempre era excelente a transmitir toda a vilania apenas com um sorriso ou olhar. A protagonista era Priscilla Dean, uma estrela nos seus dias, conhecida por ter sido a protagonista no serial da Universal "The Grey Ghost" (1917).

quinta-feira, 21 de julho de 2022

The Scarlet Car (The Scarlet Car) 1917

Um caixa idoso encontra uma grande discrepância nos livros do banco onde trabalha. Ao confrontar o presidente da instituição e o seu filho, há uma discussão violenta e estes agridem-no deixando-o como morto. Isto vai fazer com que os bandidos arranjem uma forma de tirá-lo do caminho e fazerem com que ele fique com as culpas.
Mais um passo para o estrelato da futura estrela Lon Chaney, neste thriller policial dirigido por Joseph de Grasse, com uma boa fatia de melodrama e romance. Chaney agarra o papel do caixa do banco, e no final do filme consegue roubar as atenções para si.
É dos poucos filmes de Chaney que se encontram disponíveis do período anterior a 1920, e mesmo assim a versão disponível tem apenas 40 minutos, sendo mesmo assim possível seguir toda a história. A maioria das fontes cita um tempo original de 51 minutos, embora algumas fontes sejam da opinião que falta cerca de uma hora de filme. Dizia-se que até aqui Chaney já tinha entrado em 100 filmes, na maioria curtas metragens, mas uma boa parte delas já tinha desaparecido, ou não foi possível provar que existiam. 

quarta-feira, 13 de julho de 2022

Suspense (Suspense) 1913

Abandonada numa casa de campo isolada pela emprega, uma mãe deve proteger-se a si própria e ao seu bebé de um vagabundo invasor, enquanto o marido vem para casa num carro roubado para salvá-los. 
Lois Weber foi a primeira mulher a filmar uma longa metragem, um trabalho nada fácil num tempo em que o lugar da mulher era a trabalhar em casa, e era preciso que uma mulher provasse o seu talento indiscutível para que tivesse direito a realizar. Seriam trabalhos como esta curta-metragem que levariam Weber a realizar esse seu primeiro filme dois anos depois. 
Em "Suspense" ela também aparece à frente da câmara no papel da donzela em perigo. Weber faz um belo trabalho na construção do suspense com a montagem paralela. Em suspense seria pela primeira vez usada uma cena triptica, em que são mostradas ao mesmo tempo um três peças de acção num único ecrã.
É considerada a primeira participação de Lon Chaney no cinema, baseado numa curta aparição, não creditada, que na verdade nunca foi confirmada que era ele.