sexta-feira, 10 de maio de 2013

Jacques Tourneur

Filho do realizador Maurice Tourneur, Jacques Tourneur tornou-se no mais ilustre dos graduados de Val Lewton na RKO, onde o produtor e a sua equipa desenvolveram um novo sub-género de terror psicológico nos anos 40. Uma névoa implacável paira sobre a trilogia que Tourneur filmou para Lewton: "Cat People", "I Walked With a Zombie", "The Leopard Man". Ao público é deixado a concluír se estes eventos sinistros são produtos de uma influência sobrenatural ou de uma imaginação fértil sobre o folclore e o mito - ou de uma espécie de combinação entre os dois.
O realizador parece ser fascinado por estranhos em terras estranhas, fugitivos e recém-chegados a tentarem adaptar-se a ambientes não familiares. Criando ambientes sombrios, em parte para disfarçar os pequenos orçamentos, Tourneur e o director de fotografia Nicholas Musuraca impregnavam aos seus filmes um pressentimento tanto de pura luz como de escuridão. Isto era mais memorável em "Cat People", na assustadora cena da piscina.
Tourneur e Musuraca voltaram a trabalhar juntos, desta vez sem Lewton, em "Out of the Past", com Robert Mitchum como o narrador fatalista. Um noir quintessencial que tem uma série de conivências e traições, nos quais, tal como nos filmes de terror do realizador, os personagens eram assombrados por fantasmas da sua própria concepção. "Out of the Past" é fascinante nas suas convoluções e na bizarra psicologia do anti-herói de Mitchum. Parece desejar a sua própria destruição.
Depois de "Out of the Past", Tourneur trabalhou em vários géneros, durante os anos 40 e 50, e os seus créditos de realizador incluem filmes como: um wetern em technicolor "Canyon Passage", um thriller do pós-guerra "Berlin Express", "Nightfall", uma revisão de "Out of the Past", e uma revisão do seu filme de terror, em "The Night of the Demon", entre muitos outros.
Nos próximos dias, vamos passar aqui em revista uma grande parte da carreira deste realizador. Vamos deixar de parte aqueles dois enormes, "I Walked With a Zombie", e "Cat People", que já tinham passado neste blog no ciclo de cinema de terror dos anos 40, e vamos retomar a sua carreira a partir de "Days of Glory", de 1944. Teremos por aqui, 13 dos seus mais importantes filmes.
A partir de amanhã, espero que seja do vosso agrado. Até já.


1 comentário:

Anónimo disse...

Dan Zukovic's "DARK ARC", a bizarre modern noir dark comedy called "Absolutely brilliant...
truly and completely different..." in Film Threat, was recently released on DVD and Netflix through
Vanguard Cinema (http://www.vanguardcinema.com/darkarc/darkarc.htm), and is currently
debuting on Cable Video On Demand. The film had it's World Premiere at the Montreal
World Film Festival, and it's US Premiere at the Cinequest Film Festival. Featuring
Sarah Strange ("White Noise"), Kurt Max Runte ("X-Men", "Battlestar Gallactica",) and
Dan Zukovic (director and star of the cult comedy "The Last Big Thing"). Featuring the
Glam/Punk songs "Dark Fruition", "Ire and Angst", "F.ByronFitzBaudelaire" and a
dark orchestral score by Neil Burnett.

TRAILER : http://www.youtube.com/watch?v=mPeG4EFZ4ZM

***** (Five stars) "Absolutely brilliant...truly and completely different...something you've never tasted
before..." Film Threat
"A black comedy about a very strange love triangle" Seattle Times
"Consistently stunning images...a bizarre blend of art, sex, and opium, "Dark Arc" plays like a candy-coloured
version of David Lynch. " IFC News
"Sarah Strange is as decadent as Angelina Jolie thinks she is...Don't see this movie sober!" Metroactive Movies
"Equal parts film noir intrigue, pop culture send-up, brain teaser and visual feast. " American Cinematheque