domingo, 24 de março de 2013

O Ladrão de Bagdad (The Thief of Bagdad) 1924


Certamente que "O Ladrão de Bagdad" original (os irmãos Korda, Alexander e Zoltan, fezeram uma versão em Technicolor muito boa, em 1940) constitui uma feliz surpresa para qualquer pessoa com a noção de que os filmes mudos são de pequena escala, baratos, e, bem , mudos. Antecipando série de filmes de Errol Flynn e Tyrone Power, para não mencionar os passeios da Disney dos Piratas das Caraíbas (e um Aladdin que parece ir buscar todos os traços a este filme) este veículo para a estrela Douglas Fairbanks foi uma sensação em 1924. A produtora de Fairbanks (com a esposa Mary Pickford e o parceiro Charlie Chaplin), a United Artists, gastaram uns astronómicos 2.000.000$ tentando superar outro filme de Fairbanks, Robin Hood, e conseguiram em todas as linhas.
Fairbanks, trabalhando com o director de fotografia Arthur Edeson, o designer William Cameron Menzies, e o realizador Raoul Walsh (os realizadores não eram tão importantes nesta altura), fazem um bom uso para o dinheiro. Os cenários são gigantescos, os figurinos extravagantes, e temos, literalmente, milhares de figurantes numa sequência de batalha, que acrescenta um antecedente surpreendente para uma série aparentemente interminável de delícias aventureiras.
Retrabalhando os contos das Mil e Uma Noites, Fairbanks (com uns incríveis 40 anos na altura) interpreta um ladrão sem nome, cujos caminhos são alterados quando conhece uma bela princesa, interpretada pela demasiado passiva Julanne Johnston. O filme também lançou o ator japonês Sojin, como o maléfico Principe Mongol - que, com o seu ar de Fu Manchu parece, assim, reunir todo o mal do Oriente em apenas uma figura ameaçadora. Mas a grande surpresa do filme, era a chinesa-americana Anna May Wong no seu primeiro grande papel, como uma serva da princesa. A adolescente, de 19 anos, não tem nenhuma dificuldade em roubar todas as cenas em que entra, e há muitos artifícios visuais aqui, por vezes incluindo macacos reais, elefantes e tigres, para capturar a imaginação, mesmo dos mais habituados ao CGI.
Anna May Wong foi a primeira actriz chinesa-americana a alcançar algum destaque no cinema. Nascido na Chinatown de Los Angeles, em 1905, foi literalmente uma filha dos filmes norte-americanos que adorava assistir às filmagens nas ruas de Chinatown. Entrou no seu primeiro filme em 1919, mas depressa Fairbanks a descobriu para a convidar para o papel de escrava em "O Ladrão de Bagdad". Nos anos seguintes entrou numa série de filmes de primeira linha.
Frustrado pelos estereótipos de Hollywood e pela competição para diminuir papéis orientais, voou para a Europa em 1928. A chegada do sonoro não lhe foi muito favorável. Continuou a fazer filmes até à sua morte, em 1961, o mais conhecido talvez seja "O Expresso de Shangai", de Josef Von Sternberg,  em que contracenava com Marlene Dietrich.

Link
Imdb 

Nenhum comentário: