segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Martyrs (Martyrs) 2008




Lucie foi raptada em jovem, e mantida em cativeiro durante um ano num matadouro abandonado. Os médicos não encontram evidências de abuso sexual, o que sugere algo diferente do que a gratificação instantânea geralmente associada a casos de violação. Depois da sua fuga Lucie vive num lar, onde conhece Anna, ela mesma uma vítima de abusos sexuais, que se torna a sua melhor amiga e confidente. Mas Lucie é assombrada pela estranha culpa que violentamente se manifesta como uma mulher magra que continua a infligir dor nela. Andamos quinze anos para a frente, quando Lucie procura a vingança impiedosa e tenta rastrear as pessoas que acredita que a raptaram.
Narrativamente falando, Martyrs é um filme fora de vulgar, que tem algumas voltas e reviravoltas, e numa última análise, sente-se distante do seu ponto de partida. Embora isso possa soar como um pouco sinuoso e incoerente, na realidade não o é - e é um filme bastante coeso, como um todo. Estejam preparados para um filme com duas partes distintas que finalmente se juntam para formar uma experiência instigante e muito interessante.
De certa forma, Martyrs é um pouco semelhante ao primeiro Hostel, que injustamente foi marcado com o estigma "Torture Porn", no entanto, existe um método aqui, em que a loucura é explorada por Laugier nos cantos mais depravados da mente humana. Uma vez que são finalmente revelados, os vilões e as suas motivações são extremamente intrigantes e originais, e francamente assustadoras. Dito isto, há algumas sequências extremamente violentas na tradição dos brutais filmes franceses que saíram nos anos anteriores.
O filme é levado a bom porto pela direção focada de Laugier e a beleza da fotografia. Para ser um filme tão violento, Martyrs realmente está bastante bonito, e parece ter uma camada de brilho polido que funciona muito bem. Muitos condenaram a violência substancialmente gráfica que preenche Martyrs como uma indulgência, sugerindo a violência e o derramamento de sangue a serem empregados simplesmente num esforço para chocar, horrorizar, e incentivar uma reação visceral. Embora este argumento seja indiscutivelmente válido, este é sem dúvida o melhor dos filmes franceses de terror extremista, considerado por muitos especialistas como o melhor filme de terror da década passada. Será?

Link
Imdb 


Um comentário:

Henrique Lammel disse...

Esse filme é muito forte, vamos ver se terei coragem de ver de novo