sábado, 11 de janeiro de 2014

Dans Ma Peau (Dans Ma Peau) 2002



Marina de Van faz a estreia nas longa-metragens com o Cronenberg-esque "Dans Ma Peau". Nele, a narcisista Esther (De Van) corta a perna acidentalmente numa festa, e, de seguida, começa a encontrar um estranho prazer no desmembramento e comer a sua própria carne. Isso soa como uma receita para uma experiência de um cinema singularmente revoltante, mas é mais calmo do que realmente parece, com De Van - mais conhecida pelas colaborações com François Ozon (ela apareceu em vários dos seus filmes e co-escreveu o argumento de outros dois), a estar mais interessada na parte cerebral do que nos choques viscerais.
Embora a auto-mutilação de Ester seja preocupante, o filme trata-a de uma forma menos intensa, um prazer privado que acabamos por sentir sem direito de o questionar. É fácil imaginar como cenas mostrando os seus cortes poderiam ter levado a aumentar o factor gore, o choque e o enjoar o público com closes de cortes e carne mutilada. Mas isso teria sido fácil demais. Ao fazer desta mutilação uma suave iluminação e um excitante espetáculo, De Van acabou por encontrar uma maneira mais provocante para nos perturbar. Ao invés de focar sobre as feridas, o filme foca-se no rosto de Esther, que registra um horror enlouquecido, e um frenesim orgástico.
"Dans Ma Peau" recusa-se a explicar o comportamento de Esther. Na verdade, o namorado parece projetado principalmente para ridicularizar a busca de explicações simples. Passivo-agressivo, ciumento, e repetidamente intrusivo, Vincent não pode aceitar que Esther tenha uma vida para além dele. Num outro filme qualquer, os seus esforços para compreendê-la poderiam ser "sensíveis", mas aqui retrata-os como tentativas invasivas para controlá-la. Com Vincent a perguntar-lhe repetidamente como é que o seu comportamento a faz sentir, começamos a aceitar a recusa de Esther para responder como uma estratégia de defesa adequada. Quanto mais reconhecemos o interrogatório implacável como "racional", mais agradecemos a retirada de Esther para o irracional.

Link
Imdb

Nenhum comentário: