quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Eugenie (Eugenie de Sade) 1974



Para a maioria dos fãs do Euro-Cult, o sex appeal desta obra de Jess Franco, Eugenie de Sade - uma adaptação moderna de "Eugénie de Franval" do Marquês de Sade - será a presença de Soledad Miranda, a beldade enigmática mais famosa pelo seu papel no filme de Franco "Vampryos Lesbos" . Aqui, ela é tratada como um ícone do fetiche, utilizando numerosas poses (muitas vezes nua), enquanto que a câmera de Franco a adora. Uma tal imagem é essencial para o tema e o humor do filme, usado como um motivo muitas vezes repetido: o de Miranda abraçando os joelhos contra o peito, uma expressão da inocência infantil nos seus grandes olhos escuros.
Felizmente, este é um dos filmes de Franco dos anos 70, que na verdade um enredo mais coerente tem ... Albert Radek (Paul Müller) é um famoso escritor que anda pelos círculos intelectuais europeus. Um viúvo, Radek partilha uma mansão nos subúrbios de Berlim com a enteada, jovem com os seus vinte e poucos anos, Eugenie (Miranda), a quem ele criou desde a infância. (a mãe morreu logo depois do parto). Eugenie pensa nele como o seu verdadeiro pai. Sendo uma jovem tímida, distante, sem amigos, a vida de Eugenie é totalmente situada em volta dele. Ela tem uma mente afiada, alimentada por Albert, mas sem alguma outra experiência humana real, além da sua interação com ele. Quanto a Albert, ele é um autor bem sucedido, mas frustrado que o mundo em geral não reconheça sua genialidade. Deixou o trabalho da sua vida para explorar os aspectos culturais e filosóficos do erotismo - e dedicou-se a empurrar os seus limites e violar os seus tabus. 
Um dia Eugenie descobre uma revista pornográfica escondida no escritório de Albert. Lê-la desencadeia-lhe estranhas agitações dentro do seu corpo e da sua mente. Albert fica feliz quando descobre que Eugenie tenha lido o livro, incentivando-a a explorar o assunto mais para diante. Juntos, os dois vão "deleitar-se com o conhecimento secreto de ter feito algo brutalmente bonito, ainda que proibido."
Tal como o material de origem, o filme é um conto de amoralidade e a objetivação dos seres humanos. Os homicídios praticados no filme não são estilizados. Não são de todo ensanguentados, mas não deixam de ser um pouco chocantes. Não há qualquer mistério, sabemos quem está a matar desde o início. Para Albert e Eugenie é apenas um jogo - vidas são ceifadas puramente para o seu próprio divertimento sensual. Mesmo assim, o telespectador vai provavelmente sentir a simpatia por Eugenie apesar dela se tornar uma assassina de sangue frio. Ela é o produto do seu padrasto, e está moldada desde a sua infância para acompanhá-lo em todas as suas actividades niilistas. 
Soledad Miranda era a musa de Jess Franco, que aqui participa com o pseudónimo de Susan Korday. Filha de pais portugueses, morreria num acidente de automóvel no Estoril, quando se preparava para assinar um contrato para produções maiores. Este filme já estreou depois da sua morte.
O filme não tem legendas, e tem audio em inglês e francês, à vossa escolha. O filme encontra-se hospedado num site diferente, pois não consegui convertê-lo para Rmvb.
 
Critica do theresomethingouthere aqui. 


Link
Imdb

2 comentários:

Anônimo disse...

Olá, pode reupar? Obrigado!

Anônimo disse...

O ulotz teve vários dias sem acesso, agora já functiona!!!