quinta-feira, 4 de julho de 2013

Tale of Tales (Skazka Skazok) 1979



A memória humana não funciona de modo linear. Não nos lembramos dos eventos por ordem cronológica, nem sempre percebemos imediatamente o significado por trás do que estamos a ver. As nossas memórias são um amontoado de imagens aparentemente aleatórias, mas numa última análise, ligadas, esporadicamente, saltando entre os lugares e momentos que nos lembramos, associações são desencadeadas pelo aparecimento repetido de objectos aparentemente banais, mas estranhamente familiares. Há muito a ser aprendido a partir da exploração das profundezas insondáveis ​​da mente, e o animador russo Yuriy Norshteyn de "Tale of Tales" esforça-se para fazer isso mesmo.
Em 1984, num evento realizado em conjunto com os Jogos Olímpicos de Los Angeles, o júri das Olimpíadas da Animação tentaram escolher o maior filme de animação de todos os tempos. Apesar de uma grande quantidade de candidatos dignos, um filme foi finalmente coroado com este grande título: "Tale of Tales". Duas décadas depois, em 2002 no Festival Mundial de Zagreb de filmes de animação, o mesmo filme foi agraciado com o mesmo prestigioso título, confirmando sem qualquer dúvidas, que o tempo nada fez para diminuir a sua beleza. Obra-prima de Norshteyn é um triunfo deslumbrante da animação, som ambiente e uma banda sonora clássica. Apesar de ter sido colocado em tão alta conta por tantos especialistas na animação, acabou por ficar esquecido com o decorrer dos anos. Hoje em dia, apenas através da internet é possível ser visto.
"Tale of Tales" é constituído por um número de sequências relacionadas, as quais são intercaladas umas dentro das outras. O filme usa vários personagens recorrentes, mais notavelmente o poeta, a menina que salta à corda, o rapaz alimentando os corvos com maçãs, os dançarinos e os soldados, o bébé a mamar e, é claro, o pequeno lobo de côr cinza (dobrado por Aleksandr Kalyagin). Os significados por trás destas imagens comoventes vão um pouco para lá das palavras, e, mesmo se não tivermos absolutamente nenhum desejo em tentar decifrar o rico simbolismo, podemos simplesmente apreciar a beleza incrível. As sequências que envolvem os dançarinos são uma alegoria para o envolvimento da Rússia na Primeira Guerra Mundial. Os parceiros da dança masculinos desaparecendo, substituídos por Gream Reapers encapuzados, destacam as enormes perdas humanas que a União Soviética sofreu na Frente Oriental.  
Curiosamente, "Tale of Tales" - concluído em 1979 - é o mais recente filme dirigido por Yuriy Norshteyn. Isto, no entanto, não significa que ele não tenha vindo a trabalhar arduamente. Desde 1981, o realizador dedicou a maior parte do seu tempo na produção de "Shinel", o trabalho da sua vida, adaptado do conto de Nikolai Gogol com o mesmo nome. Ao longo de um período de produção atormentado com interrupções e dificuldades financeiras, o perfeccionismo ardente de Norshteyn já lhe rendeu o apelido de "O Caracol de Ouro". A data de lançamento deste filme é actualmente incerta, mas, se o magnífico "Tale of Tales" é a perfeição que sabemos, imaginem o que poderá ser "Shinel".

Link 
Imdb 

Nenhum comentário: