quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

O Retrato de Dorian Gray (The Picture of Dorian Gray) 1945

 

Ao lado de "The Canterville Ghost"e "The Importance of Being Earnest""Picture of Dorian Gray" é uma das histórias mais famosas de Oscar Wilde. Embora tenha havido muitas adaptações cinematográficas, a versão de 1945 é a mais conhecida. 
A história passa-se na Inglaterra da era vitoriana. Dorian Gray (Hurd Hatfield) é um jovem inexpressivo, cuja alma também é um pouco vazia. O seu retrato é pintado por Basil (Lowell Gilmore), que lhe deseja o melhor possível. No entanto, Lord Wotton (George Sanders) é quem lhe tem maior influência, e tem um prazer cínico em manipular Dorian, para este cometer os actos mais hediondos, e amorais. 
Dorian pede o desejo de permanecer jovem para sempre, enquanto que o retrato fica com a queda dos seus pecados e da passagem do tempo. De alguma modo, o desejo é-lhe concedido; e a única explicação, muito vaga, está ligada a uma estátua sinistra de um gato egípcio.
Dorian tem um romance com uma inocente e jovem cantora, chamada Sybil (Angela Lansbury, num dos seus primeiros papéis). É aconselhado pelo Lord Wotton e descarta-la, mas a vida de boémio de Dorian torna-se o escândalo de Londres, mas o seu rosto e as suas feições permanecem inalterados. Até quando?
Pelos padrões de hoje, o aspecto deste filme de terror é muito suave. A discussão sobre este assunto, infelizmente, viria a introduzir muitos spoilers. Mas, enquanto que o sangue e a carnificina dos "modernos" filmes de terror está ausente, ainda há muitos momentos arrepiantes. O comportamento de Dorian, com excepção de um crime impulsivo, nunca parece corresponder ao retrato, e à sua mente distorcida. Mas a moral, é clara, não é julgar as pessoas pela aparência. Dorian pode parecer jovem e inocente, mas ele não é. 
"The Picture of Dorian Gray" foi filmado a preto e branco, mas o retrato é mostrado a cores quando Dorian o vê. A fotografia de Harry Stradling ganhou um Óscar, e Angela Lansbury foi nomeada para melhor actriz secundária, mas não ganhou. O papel de Lord Wotton foi feito à medida para George Sanders, que se tornou especialista em papéis mais espirituosos e sinistros (All About Eve, Rebecca). A personagem de Sanders é um grande feito para a carreira do actor,  assim como a de Hurd Hatfield. Embora o papel de Hatfield exigisse pouco mais do que uma boa postura, ficaria para sempre associado a ele. Continuaria a aparecer em filmes nas décadas seguintes, quase sempre em papéis secundários.
 

Mega
Link
Imdb

2 comentários:

Arm Paulo Fer disse...

Não tenho aparecido como comentador mas vou vendo os lançamentos aqui feitos. Ora este do Retrato de Dorian Gray não me ficou indiferente pois ainda há uns meses atrás vi o recente remake de Hollywwod pelo DVD que tenho na estante e apesar de ter gostado da história e do design de produção, notei que o filme lhe faltava algo para ser ao menos minimamente bom.
E agora ao dar com este post, é que me ficou claro da origem do remake. Realmente o recente tem um leve teor de algo proximo do terror mas que não consegue deixar de ser apenas algo do fantástico. O original, a julgar pela descrição e pelo trailer (obrigado pelo trailer - só falta arranjares posters para os posts, carago!) servia-se do fantástico e prosegguia no sentido do terror soft, cuja encenação e imagem a preto-e-branco muito ajudam a potenciar.
Gostei deste post.
Well done, Chico!

My One Thousand Movies disse...

Thanks my friend :)
Este mais recente é apenas um filme mediano, e ao passo que este é bem mais interessante ;)