segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Delícias Turcas (Turks Fruit) 1973

"Delícias Turcas" é o percursor provocante do realizador holandês Paul Verhoeven do seu ciclo de películas de Hollywood de grande orçamento, que exploram a sexualidade humana como "Instinto Fatal" (1992), "Showgirls" (1995) e "Starship Troopers" (1997). Criticado com frequência pelo seu uso da extrema violência e da sexualidade explícita, Verhoeven tem sempre defendido que os seus filmes espelham mais a vida do que a influenciam. "Delicias Turcas" é protagonizado por Rutger Hauer como Erik Vonk, um escultor promíscuo que se envolve com a bela Olga (Monique Van de Ven) cujo apetite sexual compete com o dele. À medida que o seu caso avança, decidem-se casar-se mas as divergências entre Eric e o sistema de valores dos seus sogros levam ao fim do romance.  Anos depois, Eric e Olga voltam a encontrar-se, e finalmente conseguem dar alguma conclusão à sua relação turbulenta. O filme é construído numa série de flashbacks em que o mundo interior e a sensibilidade de Eric são lentamente revelados.
A atmosfera da parte final é completamente diferente da verificada no início, quase como se estivéssemos noutro filme. Transforma-se numa narrativa comovente de amor e perda, de êxtase e desespero e, embora insista num grau apreciável de conteúdo erótico, é temperado com doses fortes, tanto de fantasia como realidade.
A sexualidade de espírito livre que dinamiza os filmes de Verhoeven está no coração de "Delícias Turcas", apresentado como o ataque definitivo aos valores burgueses. Sustentado pelo comportamento extremo do protagonista, este romance anti-convencional nunca deixa de provocar, com o seu efeito a ser aumentado pela química explosiva entre Hauer e Monique, "Delícias Turcas" foi considerado "O Melhor Filme Holandês do Século" no festival de Cinema da Holanda, de 1999.
Texto por RDe, "1001 Filmes para ver antes de morrer".

Link
Imdb

Nenhum comentário: