sábado, 7 de janeiro de 2017

Aelita - A Rainha de Marte (Aelita) 1924

O filme passa-se no início da NEP (Nova Política Económica), em dezembro de 1921. Uma mensagem de rádio misteriosa é transmitida em todo o mundo, e entre os terrestes que a recebem estão Los, o herói do filme, e o seu colega Spiridonov. Los é um sonhador individualista. Aelita é filha de Tuskub, o governante de um estado totalitário em Marte em que a a classe trabalhadora era congelada quando não era necessária. Com um telescópio, Aelita é capaz de ver Los. Como que por telepatia, Los fica obcecado em ser visto por ela, e depois de algumas peripécias envolvendo o assassinato da sua esposa com um detetive na perseguição, Los assume a identidade de Spiridonov e constrói uma nave espacial para se deslocar a Marte...
Antes de Eisenstein, Vertov, Pudovkin capturarem a atenção do mundo com uma abordagem nova e emocionante para o cinema, o cineasta soviético Yakov Protazanov forjou uma carreira impressionante com uma abordagem mais tradicional. A sua prolífica carreira cinematográfica começou no início da indústria do cinema soviético. Começou como ator, em 1905, mas em 1909 mudou-se para a cadeira de realizador. Entre 1909 e 1917, dirigiu 40 filmes, muitos dos quais eram épicos de grande escala histórica, adaptações literárias, entre outros... No entanto, quando a Revolução de Outubro trouxe a turbulência e a incerteza, Protazanov fugiu da Rússia. Primeiro instalou-se em Yalta na Crimeia e, posteriormente, andou à deriva por Odessa e Constantinopla. Protazanov e os seus companheiros continuaram a fazer filmes, mas recebiam apenas o apoio financeiro dos estúdios locais. Uma vez chegado a França, a carreira de Protazanov mais uma vez tomou raízes, mas depois da estabilidade voltou a restabelecer-se na Rússia, o novo incipiente da indústria do cinema soviético pediu a Protazanov para voltar e contribuir com o seu talento para novas produções. E ele regressou. Uma vez de volta à Rússia, começou a planear um filme vagamente baseado numa novela de Alexei Tolstoy - Aelita, a Raínha de Marte. E seria o seu filme mais conhecido no Ocidente. Um espectáculo de ficção científica socialista com cenários magníficos que evocam motivos construtivistas e cubistas, Aelita foi o primeiro filme de grande orçamento feito na Rússia. Um ano e meio em filmagens, Aelita foi concebido como entretenimento de massa ideologicamente correcto que poderia competir nas bilheterias com os filmes de Hollywood. 
Com um hype de pré-estreia que faria os estúdios contemporâneos verdes de inveja, Aelita recebeu uma enorme cobertura: aviões a lançaram milhares de panfletos e figuras gigantes de Aelita e Tuskub nas fachadas decoradas dos teatros. O público mal podia esperar que as portas do teatro se abrissem. De acordo com algumas histórias, a comoção ditou a ausência de Protazanov de participar na estreia. Enquanto Aelita foi um sucesso popular, os críticos soviéticos não foram tão amáveis. Lamentaram o estilo ocidental escapista do filme. E mais tarde, depois da chegada de Eisenstein, Pudovkin e Vertov, Aelita foi retirado de circulação. No entanto, a influência do filme é difícil de sobrestimar. Os cenários avant-garde incriveis - desenhados por Alexandra Exter e o seu protegido Isaak Rabinovich - logo seriam ecoados por Fritz Lang em Metrópolis, e os cenários do planeta Mongo em Flash Gordon refletem fortemente a visão de Marte de Aelita. De qualquer forma, não é a qualidade da propaganda do filme que leva ao seu status de clássico, mas a sua visão de Marte, que ficou bastante famosa.
Notavelmente sofisticado para a época, tanto a nível da narrativa como da técnica visual, Aelita é uma mistura inteligente de ficção científica e cinema pró-comunista, embora não seja uma peça de propaganda directa. Pelo contrário, faz avisos sobre a facilidade com que as revoluções podem ser corrompidas, retrata uma sociedade russa que está longe de ser perfeita, com as pessoas a aproveitarem-se umas das outras e funcionários do governo a enganarem o sistema, e adverte que a única maneira de preservar uma sociedade saudável é através da vigilância e do trabalho duro. Esta é uma abordagem intelectual para a política que seria sufocada na Rússia, não muito tempo depois, e que, nos próximos anos, surgia apenas indirectamente através do trabalho de grandes realizadores como Tarkovsky e Eisenstein, que enfrentaram a censura. Aqui está tudo a nú, e honestamente, o filme em si é um exemplo do trabalho que defende.
Intertitles em inglês. 

Link
Imdb

Nenhum comentário: