quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Capítulo 8 - Heróis do VHS

Kalidor: A Lenda do Talismã (Red Sonja) 1985
A vida tranquila de Sonja (Brigitte Nielsen) acaba quando os seus pais são assassinados pela Rainha Gedren (Sandahl Bergman), que cria um reinado de terror, possuindo um talismã pelo qual poderá aniquilar a vida no planeta Terra. Sonja está determinada a vingar a morte dos seus pais e são lhe concedidos poderes extraordinários por uma visão misteriosa. Entretanto, ela tem que jurar que jamais tocará num homem a não ser que o mesmo a derrote numa batalha. A caminho do encontro com a Rainha Gedren, ela encontra Kalidor (Arnold Schwarzenegger), um estranho dotado de uma força superior.
Richard Fleischer, depois de realizado "Conan, o Destruidor", a sequela menos bem sucedida do grandiso "Conan e os Bárbaros", de John Milius, criou outro herói icónico, em parte derivado do universo de Robert E. Howard, desta vez uma mulher chamada Sonja. "Red Sonja" é muito melhor do que o que a sua reputação extremamente baixa possa sugerir, mas também não consegue aproveitar ao máximo o que os seus activos reais. Fleischer já era um realizador muito experiente, sobretudo no território da acção, e este seria o seu penúltimo filme.
Não foi fácil escolher uma actriz para encarnar o papel de heroína neste filme de "sword and sorcery". O produtor Dino De Laurentiis não conseguia encontrar uma mulher para desempenhar este papel, até que descobriu uma modelo muito interessante numa revista, e nascia uma estrela, Brigitte Nielsen. Nielsen era uma jovem dinamarquesa, com pouco mais de 20 anos na altura, e que aproveitaria o embalo para interpretar numa série de filmes nesta segunda metade dos anos oitenta: dois com Stallone ("Rocky IV" e "Cobra"), com quem casaria, "O Caça Policias 2", mas a sua aparição no cinema seria breve, pois tinha muito talento, e depressa passaria para filmes de série B. Arnold Schwarzenegger tem um papel mais secundário.  

Comando (Commando) 1985
O Coronel John Matrix (Arnold Schwarzenegger), reformado das forças especiais, vive isolado com a filha, quando aparece um grupo de mercenários que a raptam, com uma condição: terá de regressar com eles a uma república (fictícia) da América do Sul, e depor o actual presidente que anteriormente tinha ajudado a chegar ao poder. Matrix sabe que, mesmo concordando eles vão matar a sua filha, então só lhe resta chegar ao país antes que os mercenários percebam.
Um gloriosamente primitivo filme de acção, que não tem outro objectivo a não ser um puro objecto de violência gratuita, mas tudo isto com um certo charme. "Commando" ajudou a solidificar a personagem do filme de acção de Schwarzenegger, na altura conhecido apenas pelo cyborg de "O Extreminador Implacável" e pelos seus papéis nos filmes de "sword & sorcery".
O realizador Mark L. Lester é muito directo no comando deste espectáculo, sem grandes floreados estéticos e sem nos servir grandes emoções. Reconhece em Schwarzenegger uma presença forte, que precisa de mais atenção na tela, então permite que o seu herói arrase tudo pelo caminho. Matrix é mais uma força da natureza do que uma personagem, e só faz sentido quando está armado até aos dentes com grandes metralhadoras, explodindo o seu caminho através de dezenas de inimigos como se fosse uma personagem dos jogos de video.A sua filha é interpretada por Alyssa Milano, que na altura era conhecida pela série "Chefe, mas Pouco".

O Gladiador (The Running Man) 1987
Estamos no século XXI os EUA estão sob um cruel regime totalitário. Os livros foram queimados, os discos destruídos, as escolas fechadas e toda liberdade pessoal abolida. Neste mundo estarrecedor, só uma relíquia do século XX foi preservada: a TV, única forma de diversão de uma população oprimida e fria. "The Running Man" é o programa mais popular, uma espécie de jogo de gato e rato mortal e sanguinário, onde o único e valioso prémio é a sobrevivência. Ben Richards (Arnold Schwarzenegger), um rebelde perseguido, vai provar que nem sempre o fugitivo é o perdedor. Contra adversários mortalmente curiosos, ele vai defender a sua vida frente às câmeras de TV.
No mesmo ano em que entrou em "Predador", Schwarzengger entrou em "The Running Man", um projecto menor que funcionava como uma sátira aos anos oitenta saturados pelos mídia, desenvolvendo as tendências então actuais (mesmo políticas) e as suas conclusões lógicas. Embora na altura não houvesse sinais de competições onde os participantes arriscassem a vida, é este mesmo aspecto o mais importante do filme, que continua actual até aos dias de hoje, e quem sabe se amanhã não será mesmo real...
É baseado num livro do mesmo nome de Stephen King, escrito sob o pseudónimo Richard Bachman, e o argumento da autoria de Steven E. de Sousa, que já tinha escrito "Commando", e no ano seguinte escreveria o de "Die Hard".

Um comentário:

Emanuel Neto disse...

Red Sonja era uma das várias mulheres da saga da banda desenhada "Conan". Como queriam dar mais destaque a Sonja, mudaram o nome de Conan para Kalidor mas no fundo o personagem é o mesmo.
O filme, de uma forma geral é muito mal visto, mas eu não concordo. Eu gosto bastante de "Red Sonja".