terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Quero Apenas ser Amado (Ich will Doch nur, daß ihr Mich Liebt) 1976

Depois de uma infância distituída de amor, o jovem pedreiro Peter acaba por se ver envolvido num casamento frio e sem amor. A sua única satisfação é o trabalho. Construiu uma casa para os pais, para conquistar o seu amor. Tenta constantemente compensar a falta de contacto por meio de trabalho, de prendas caras, de simpatia e de conformismo. Quando perde aquilo que lhe é mais caro, o trabalho, tem um acesso de loucura.
Filme de Fassbinder realizado em 1976, para televisão, é um dos filmes mais pessimistas que fez em toda a sua carreira, mas ao mesmo tempo, é uma história transcendente que ultrapassa o seu tempo. Tal como um filme anterior do realizador, "Why Does Herr R. Run Amok?" (1970), não termina nada bem, e Fassbinder até acrescenta uma sequência totalmente fora do lugar, que antecipa esse acontecimento antes dele ter lugar.
Uma produção desesperada, que confia mais na garra do que nos valores de produção, embora seja difícil incentivar as pessoas perante um filme tão depressivo.
O filme foi produzido numa questão de semanas, no intervalo das filmagens de "Satansbraten", e a inspiração veio de um livro de entrevistas conduzido por Klaus Antes e Christiane Erhardt intitulado "Lebenslänglich" que se traduz por "Prisão Perpétua", e que trazia uma série de casos de condenados a prisão perpétua. Um dos actores secundários de "Satansbraten", Vitus Zeplichal, interpretaria aqui o papel principal, com muitos actores da equipa habitual de Fassbinder a ocuparem papéis secundários. A sua própria mãe, com o nome de Lilo Pempeit, também aparecia no filme, assim como também aparece em muitos outros do realizador.
Legendas em inglês.

Link
Imdb  

Nenhum comentário: