quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Nora Helmer (Nora Helmer) 1974

Nora Helmer salvou a saúde do seu marido, Torvald, com uma viagem a Itália, paga com um empréstimo contraído a Krogstad. Foi feita uma assinatura falsa para obter o empréstimo. Torvald, que entretanto se tornou director de um banco, pretende despedir Krogstad, que decide chantagear Nora com a assinatura falsa. No jogo que se segue, Nora assume o poder na sua casa. 
Versão para televisão, de Fassbinder, sobre a peça de Henrik Ibsen "A Dolls House", desenvolve uma nova leitura, radical mas escrupulosa, da peça. Despojada de sentimentalismos, e dando a Nora (Margit Carstensen) auto-confiança desde o início, esta produção de estúdio oferece-nos a sua crítica ao casamento burguês com uma força raramente correspondida, mesmo no teatro. A prosa brutal é complementada pelo espectáculo visual único, que Fassbinder consegue arrancar a partir de um estúdio de videotape. Alcançando efeitos de iluminação e enquadramentos que realizadores da televisão britânica nunca sonhariam alcançar. Quase todas as cenas são filmadas através de cortinas, vidros cortados, espelhos ornados, de modo a que os personagens fiquem visualmente escurecidos, mas sempre focados. Todos os produtores de TV deviam ser obrigados a ver este filme.
Legendas em inglês.

Link
Imdb

Um comentário:

yullivic disse...

Que beleza, que maravilha, que impressionante filmar através de vidros, espelhos, tudo indiretamente a focar as aparências insubstanciais do casal, a farsa da relação feliz. Fass, me mata que eu gosto!