quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Ligações Perigosas (Dangerous Liaisons) 1988



Uma rica e pérfida viúva (Glenn Close) desafia um célebre libertino (John Malkovich) a seduzir uma jovem e bela mulher recém-casada (Michelle Pfeiffer). Mas, desta vez, uma regra essencial é violada: os dois jogadores vão apaixonar-se...
Tal como acontece com uma regularidade surpreendente na indústria de Hollywood, na altura em que "Ligações Perigosas" entrou em produção, não era a única adaptação do romance de Choderlos de Laclos, do século 18. O filme rival era "Valmont", que estava a ser preparado por Milos Forman, e que apesar de reconhecer que iria perder a guerra da bilheteira com o filme de Stephen Frears, estava preparado para pressionar. "Ligações Perigosas" estreou quase um ano na frente de "Valmont", e conseguiu muito maior sucesso, tanto criativa como financeiramente. A versão de Frears conseguiu arrecadar sete nomeações aos Óscares, inclusivé algumas das principais, como Melhor Filme, Actriz (Glenn Close) e Actriz Secundária (Michelle Pfeiffer), mas acabaria por conquistar apenas três, principalmente nas categorias técnicas. O filme de Forman seria recebido com algumas críticas medíocres.
Talvez a história de "Ligações Perigosas", uma novela cínica sobre personagens desagradáveis que fazem coisas impensadas, tenham feito melhor eco no final dos anos oitenta e noventa. Na realidade, nada menos do que quatro versões desta história chegaram ao cinema no espaço de 11 anos. Além dos filmes mencionados tínhamos "Company of Men" (que empregava as mesmas idéias) e "Cruel Intentions". Talvez as pessoas encontrassem algo de atraente na noção de que qualquer pessoa, incluindo o mais dissoluto e emocionalmente distante dos humanos, poderia ser desfeito pelo amor. Ou talvez haja algo de agradável na observação de indivíduos maus que vivem numa sociedade podre, serem punidos. Em ligações perigosas tudo começa como um jogo, ou um desporto, mas não termina assim.
"Ligações Perigosas" tem o aspecto de um filme de época muito bem preparado, figurinos impecáveis e um design de produção do mais perfeito. Sendo o livro europeu, Frears (ele próprio um realizador inglês) optou por escolher um elenco totalmente americano, apesar do filme ter sido maioritariamente rodado em França. Mas os actores acabaram por ter sido muito bem escolhidos, e o trio principal (Malkovich, Glenn Close e Pfeiffer), têm uma brilhante interpretação, assim como os secundários, onde se incluem Keanu Reaves e Uma Thurman, ambos em vias de se tornarem estrelas.
O filme também representaria uma mudança na carreira de Frears, que até então apenas fazia pequenos filmes de arte, como "My Beautiful Laundrette", e passaria a estar ligado a filmes muito mais mainstream, começando por "The Grifters", no ano seguinte. O argumento, da autoria de Christopher Hampton, ganharia um Óscar.

Link
Imdb

Um comentário:

Nuno Guronsan disse...

Olá, meu caro.
Só para te perguntar se este link está correcto. A mim foi dar ao Mentes Perigosas...
Como sempre, muito e muito obrigado pelo teu fantástico trabalho com este blogue.
Abraço!