quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Capítulo 3 - Comédia

Os Ricos e os Pobres (Trading Places) 1983
Louis Winthorpe (Dan Aykroyd) é um homem de negócios que trabalha para a correctora Duke & Duke, propriedade dos irmãos Mortimore e Randolph Duke. Os dois têm uma discussão sobre se qual a razão do sucessos das pessoas na vida, se é a determinação de cada um ou a hereditariedade de cada um. Quando  Winthorpe escorrega em Billy Ray Valentine (Eddie Murphy), um vagabundo da rua, e assume que este estava a tentar assaltá-lo, faz com que ele seja preso. Os dois irmão, ao observarem o comportamento dos dois, resolvem fazer uma aposta sobre o que aconteceria se Winthorpe perdesse o emprego e este fosse parar ás mão do vagabundo?
John Landis já vinha com uma carreira de sucesso no campo da comédia com dois êxitos consecutivos, "Animal House" e "The Blues Brothers", e um filme de terror pelo meio, "An American Werewolf in London", quando aterrava nesta outra comédia, em que dois homens de posições sociais muito diferentes trocam de lugar, por causa da aposta de dois homens, interpretados por Ralph Bellamy e Don Ameche.
Comédia muito bem sucedida em todos os aspectos, tanto a nível crítico como de público. Foi o quarto maior sucesso do ano, e vale sobretudo pela excelente dualidade dos seus protagonistas: Dan Aykroyd, que já tinha trabalhado com Landis em "The Blues Brothers", e Eddie Murphy, bem fresco da sua grande estreia no ano anterior com "48 Hours", de Walter Hill.

Três Amigos! (Three Amigos!) 1986
Quando uma pequena aldeia mexicana é aterrorizada por um conhecido fora-de-lei, uma señorita desesperada pede ajuda aos únicos heróis que conhece: os lendários Três Amigos. Conhecidos de todos como lutadores destemidos pelas causas da liberdade, estes corajosos cowboys não passam de estrelas de cinema que só conseguem lutar à frente das câmaras! Mas quando os fora-da-lei atacam, os Amigos descobrem que os pistoleiros - e as suas balas - são bem reais. Os três têm agora de escolher: salvar a vida e serem aclamados como verdadeiros heróis - ou pendurar de vez as esporas em sinal de vergonha!
Uma espécie de "The Magnificent Seven" meets Irmãos Marx, era o mote de mais uma comédia de John Landis, um realizador que conseguiu transformar em êxitos praticamente todos os filmes que fez durante a década de oitenta. No centro da acção estão três dos mais bem sucedidos comediantes desta década, Steve Martin, Chevy Chase e Martin Short, mas quem se destaca mais são os dois actores que interpretam os vilões, Alfonso Arau (hoje em dia um realizador mexicano com algum sucesso) e Tony Plana. 
Uma paródia ao western, mas também um excelente filme de entretenimento, que consegue sobreviver com a mesma qualidade até aos dias de hoje.

Um Príncipe em Nova Iorque (Coming to America) 1988
O Príncipe Akeen (Eddie Murphy), do Reino de Zamunda, em África, decide que precisa de encontrar uma mulher que o ame pelo que ele é como pessoa, e não pela sua incrível fortuna ou pelo seu título da nobreza. Akeem segue com o fiel parceiro, Semi (Arsenio Hall), para Nova York, onde tenta conquistar uma futura esposa, não imaginando as aventuras em que se envolverá para conseguir o seu intento.
John Landis volta a trabalhar com Eddie Murphy, cinco anos depois da primeira colaboração entre os dois. Neste espaço de tempo muita coisa aconteceu, Landis continou a trabalhar em comédias de sucesso, e Eddie Murphy tornou-se num dos actores mais bem pagos de Hollywood, com sucesso atrás de sucesso. "Um Príncipe em Nova Iorque", apesar de não ser dos seus melhores filmes, é provavelmente a apoteose da sua carreira como actor. Pela primeira vez ele tem um filme todo para ele, interpretando quatro personagens ao mesmo tempo (tal como Arsenio Hall). Mas não foi um filme fácil. Landis acusou-o publicamente de se tornar um arrogante, ao contrário do primeiro filme que fizeram juntos em que ele o considerava um actor muito divertido.
Murphy já não era o talento em ascenção de "The Beverly Hills Cop", ou "48 Hours", mas sim uma mega-estrela cujo egoismo e desrespeito começavam a ser o seu génio. Nesse ponto, "Um Principe em Nova Iorque" era o inicio do seu declínio. Embora ainda conseguisse alguns sucessos nos anos seguintes, não levaria muito tempo para a sua carreira entrasse num periodo de decadência, apesar de conseguir uma nomeação aos Óscares em 2006, para "Dreamgirls".

Um comentário:

Emanuel Neto disse...

Vi o filme "Os três amigos" pela primeira vez quando era criança e gostei muito. Muitos anos mais tarde revi-o e já não achei piada nenhuma. Neste caso diria que tudo tem o seu tempo...