terça-feira, 16 de julho de 2013

Jess Franco: Um Mapa

La Comtesse Noire (Female Vampire, Jess Franco, 1973), filmado na Madeira


Quem tem medo de Jess Franco?

Cineasta de culto recentemente desaparecido, dirigiu, actuou, escreveu ou compôs para cerca de duzentos títulos. Criou inúmeros alter egos para se proteger da censura. Atravessou géneros, movimentando-se com o mesmo à vontade no cinema mainstream, no softcore e no hardcore. Amava o cinema de Jean-Luc Godard, mas foi de Fritz Lang e Orson Welles, com o qual colaborou,  que recebeu elogios.

A partir desta obra imensa e pouco conhecida em Portugal, os blogues My Two Thousand Movies e there's something out there propõem traçar um mapa feito de palavras, sons e imagens, que permita navegar entre os mitos, as personagens, as diferentes fases da carreira, os produtores, os actores, as musas, as edições em VHS, DVD e Blu-ray, as publicações e a forte ligação ao nosso país. Consciente dos percalços, nomeadamente os filmes dispensáveis que realizou, trata-se de um mapa que pede discussão, mas que rejeita o olhar preconceituoso que recai sobre a totalidade da sua obra. Em Obssession - The Films of Jess Franco, Tim Lucas nota : As you must know, once the viewer has tasted this essence, he becomes insatiable, obsessed with seeing everything Franco has signed, and everything he has forged.

A partir de 21 de Julho, durante dezoito semanas, a cada domingo, um autor para descobrir no My Two Thousand Movies e no there's something out there.

Sem comentários: